Doente Como o Homem-de-Ferro

Era pra eu escrever algo sobre o Bossa Conference 2008, mas estou tão doente que meu cérebro virou mingau. Imprudência de ficar ouvindo as conversas pós-palestas (post-talks talkings) numa piscina gelada depois da meia-noite.

Felizmente tivemos uma cobertura legal da imprensa e bloggers (/me doente pra colocar links, vai procurar você) e vou passar, exceto por alguns comentários:

  • Rasterman deve ser mais inteligente e mais careca que o Lex Luthor;
  • Dave Adreoli faz um trabalho incrível com o Edje Editor e ganhou meu chapéu de palha;
  • A organização tá de parabéns, tudo no lugar e festas todas as noites. E Igor, valeu pela ficha de fliperama lá naquela bodega.

Desde sexta que estou meio acabado aqui na cama com o laptop no colo e um monte (2 é um monte) de fios saindo dele, me fez lembrar de alguma história do Homem-de-Ferro dos anos 70 (que só chegavam no Brasil no fim dos anos 80) onde Tony Stark passava um tempão com o peito ligado na tomada pra recarregar a armadura.

E com a doença os sonhos esquisitos. Uma chuva de flechas! Rolo pra debaixo de alguma coisa… Deixa pra lá. ><

Menus de Torta com Python e Cairo

Um tempinho atrás experimentei fazer uma interface do tipo pie menu, aqueles menus circulares, usando Python e Cairo. A idéia era usar num tipo de arena de combate usando marcadores para representar os lutadores, com ações escolhidas em menus de contexto circulares.

Melhor um screencast que palavras:

Veja o código aqui. Os arquivos são arena.py (execute este), p_token.py e piemenu.py.
Ou use o subversion:

svn checkout http://setanta-labs.googlecode.com/svn/trunk/pycairo piemenu

Funciona assim: a classe Arena é um widget que pode conter objetos da classe Token (os marcadores representando personagens), estes por sua vez contém um objeto da classe PieMenu, que é composto por vários itens.

Em código:

arena = Arena()

piemenu = PieMenu()
piemenu.add_item('icon1.png', do_callback, 2) # (icon, callback function, callback params...)
piemenu.add_item('icon2.png', do_callback)

token = Token((200, 100), 'token-icon.png', piemenu) # (position, icon, menu)

arena.add_token(token)

Então você adiciona a Arena num container qualquer e está pronto.

1 Dentro

Hoje eu dei uma dentro. Na verdade a thread fantasma que roda no meu cérebro deu uma dentro. E como o Marcio reparou que só escrevo sobre meus revezes, aqui vai essa:

Era uma tarde ensolarada no escritório do INdT quando o Lauro (Venâncio) lê uma notícia em voz alta: “Olha só, hospital oferece tratamento pra viciados em internet.”

Antes que eu pudesse pensar minha boca falou: “Mas tem atendimento online?”

Rapaz! Você tinha de ver as convulsões do Lauro. Se tivesse um prêmio bozolho no INdT eu levava o desse ano.

Bossa Conference 2008

Nesse fim de semana começa o Bossa Conference 2008, tou empolgado pra caramba com as palestras e workshops e tudo mais, mas fiquei curioso com esse tal de Summerville (o lugar o evento) e fiz uma busca pra ver qual que é. Confesso que achei o lugar meio morto.

Summerville Cemetery

Uma coisa é certa, Berry vai estar lá.

Falando sério, o Bossa Conference é o evento Open Source de mais alto nível técnico que você vai achar nessa parte do planeta, nem posso acreditar na sorte que tenho de morar perto. 😉 E se você não puder ir, é uma pena; se você marcou… melhor ir pro outro Summerville encontrar o Berry.

Bossa Conference 2008

ESBox Rápido e Fácil

Não é um curso, nem um livro milagroso, apenas um scriptzinho bash. E pra falar a verdade, o “rápido” no título depende muito da sua conexão.

O ESBox é um plugin pro Eclipse que ajuda um bocado a programar pra plataforma Maemo. Ele incluin suporte a C, C++ (><) e Python. Como ele depende de versões específicas dos plugins CDT e PyDev, e do próprio Eclipse, pode se tornar chato de instalar, pra mim mais chato ainda, porque tenho de fazer isso de tempos em tempos pro Maemo SDK VMware Appliance. Se algo fica de fora tenho de andar na prancha. Não mais! Esse script aqui [install_esbox.sh] instala tudo, do Eclipse pra cima até chegar no ESBox. Só não instala o Scratchbox e o Maemo, esses ficam por sua conta.

Resta apenas configurar o interpretador Python a ser utilizado pelo PyDev. Siga estas instruções.  Não consegui encontrar o arquivo onde o Eclipse (e o PyDev) guarda  as configurações. Chave GConf também não foi achada.

<dearlazyweb>Se alguém souber onde fica guardada a informação de qual interpretador usar, me avise.</dearlazyweb>

Ah, quem já conhecia o Projeto ESBox vale uma outra olhada no site deles que tá novinho em folha.

Ninguém disse que era fácil

Na verdade, ninguém disse nada.

Cheguei aqui no CIn mais de 10 horas da noite e tinha música tocando, latas empilhadas e uma dúzia dos melhores caras que eu não imaginaria conhecer. Estavam todos bêbados, felizes e me empurraram uma cerveja, mais um monte de perguntas, abraços e apertos de mão. Tem poucos lugares no mundo onde um aluno é tão bem tratado como aqui, e também poucos onde é tão mal-tratado e largado pra passar um bom tempo fazendo projetos e virando noites junto com os outros “infelizes”. No fim todos acabam virando um tipo de família. Se você está lendo isso e está entrando agora, aproveite. Aproveite tudo.

E os caras botaram The Scientist do Coldplay pra tocar no que sobrou da festa de volta às aulas. Ninguém disse que ia ser fácil. ><

Então estou indo embora, infelizmente chegou num ponto que não dá mais pra continuar. Mas não me sinto um perdedor. Faz uns anos que eu era um sujeito fugido da escola que não pensava na universidade como algo interessante, e com uma visão de futuro pra no máximo 2 semanas. Foi muita coisa até chegar aqui, sempre contra as probabilidades, e sempre sem saber direito o que estava fazendo. Melhor assim, se soubesse talvez acreditasse nas probabilidades. Ou não, pois sempre digo que os humanos são bons em subverter a ordem natural das coisas; a natureza tenta nos matar o tempo todo e ainda estamos aqui.

E se você está nessa vida de projeto de engenheiro (ou cientista, ou matemático) e as coisas vão bem, lembre que quem começou a fazer sua graduação foram seus pais, há muito tempo (e não estou falando só de fabricar você). Senão, bem, não vá culpar eles por seus problemas, algumas coisas são do jeito que são. Existe um molde de aluno ideal pra certos cursos e universidades, se você não se encaixar por qualquer motivo, vai ter de agüentar quatro ou cinco anos fazendo contorcionismos pra entrar no molde. Algumas vezes simplesmente não encaixa. E não estou falando só de vocação e inteligência (suponho que tenho as duas, já que entrei no curso e fiquei por tanto tempo).

Bom, foi uma “despedida” inesperada, é bom ter de quem se despedir. Valeu pela cerveja.

No lado bom das coisas, estou começando Licenciatura da Computação na UFRPE, à noite. Pesquisei bastante as possibilidades, e a Rural apareceu como uma ótima opção. O lugar é muito agradável, muitas disciplinas foram dispensadas, todos me fazem sentir bem-vindo e as coisas parecem querer andar.

Agora começo de novo.

The Dungeon Master has left the plane

Morreu hoje o cara que inventou o tipo de jogo que estava presente nas partes da minha adolescência que ainda tenho vontade de lembrar.

Gary Gygax - Order of The Stick
Ernest Gary Gygax
1938 – 2008

A esposa, Gail Gygax disse que “significava muito pra ele ouvir ao longo dos anos, pessoas dizendo como ele os ajudou a se tornarem médicos, advogados, policiais; o que ele deu a eles. Ele realmente gostava disso.”