Tudo Que é Vivo Morre

Caveira, Flor

“…encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo morre”.
Chicó, no “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna

Qual é a flor verdadeira? A flor na árvore ou a que está murcha? A do começo ou a do final?

Os Trafalmadorianos diriam que existe uma flor perfeita congelada no âmbar do tempo, e que será sempre perfeita nos limites desse tempo.

Update: sim, eu sei, muito emo… muito emo… mas vai passar. P-\

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s