Influência de Tropa de Elite no Ambiente de Trabalho

<eu> E aquela parada dos repositórios?

<identidadeprotegida> Ah, aquilo tá assim, assado…
(… mais algumas complicações técnicas …)

<identidadeprotegida> mas essa pica não é mais minha.. é do aspira

Update: e isso aqui é obra do Osvaldo (o hack e a foto):

Senta o Dedo Nessa HP

E eu aprendi uma coisa importante hoje: que blututi é legal, e que aquelas pastas “Audio clips”, “Documents”, “Games”, “Images” e “Video clips” do N800, ficam em “/home/user/MyDocs” com os nomes “.sounds”, “.documents”, “.games”, “.images” e “.videos”, respectivamente.

Update 2: e aprendi também (com o Lauro) que uma coisa pode virar duas no meio do caminho, e que eu posso esquecer de corrigir o começo da frase quando as duas coisas ainda eram uma. :P

A AK-47 dos Celulares

Se Kalashnikov tivesse um celular seria esse:

Best Celular Ever
Aliás, já dizia o mestre Mikhail:
“All that is good is simple and all that is simple is good.”

Você imagina guerrilheiros vietnamitas andando com um iPhone afrescalhado pela selva? Imagina Che vibrando com multitouch ao som de disparos no meio do mato? Não! Eles teriam um Nokia desses que tá na foto e que nem o modelo eu lembro, mas confio assim mesmo.

iPhone é coisa de mulherzinha.

Família Dinossauros e Sexo Pago

Um lado bom de ficar horrivelmente doente com catarro nos brônquios e dores pelo corpo é que dá pra descansar um pouco em casa e assistir televisão.

Hoje vi Família Dinossauros. Tão bom quanto eu lembrava! :D

Carlão (aquele dinossauro corcunda e mal-encarado com espetos nas sobrancelhas) leva o relutante Bob num puteiro, que era uma novidade na época (segundo a putassaura: “é uma profissão nova”).

Bob: não sei carlão…
Carlão: não tem nada demais em se pegar a experiência mais pessoal e íntima da vida e colocar um valor monetário nisso.

Dresden Codak e Transhumanismo

Kim Ross é a personagem principal do quadrinho Dresden Codak, ela é uma materialista empedernida e crente fiel do transhumanismo e da IA Forte, no futuro colocará sua mente num poderoso e imortal corpo cibernético. Ela não gosta de humanos, mas parece boa pessoa. Outro personagem interessante é o Tiny Carl Jung, um dos pais da Tiny Psicology.

Psychological Assistance
“Perhaps you need some psychological assistance?”
(frase de efeito destacada por Marden, do universo paralelo de Aracaju)

Meus preferidos:

Uma pena que a produção é muito lenta. Na verdade parece parada.

P.S.: Ainda estou doente, li numa placa na rodoviária que 3 semanas de catarro podem significar tuberculose, aquela doença popular entre os autores ultra-românticos. Pelos meus cálculos, mais alguns dias e terei algo em comum com Álvares de Azevedo.

Disclaimer: não estou com tuberculose nem vou morrer (bem, como todo mundo, eu vou; ainda mais porque não acredito que meu complexo cérebro não-determinístico possa ser uploadeado pra uma Máquina de Turing, por mais elaborada que ela seja), deve ser uma bronquite. Vou no médico e logo estarei bem.

Update: o WordPress não deixava eu colocar a imagem nesse post, então escrevi isso em seu lugar: [era pra ter uma imagem aqui, mas esse escroto do wordpress não quer deixar eu colocar, aliás me fez perder o post original. fiadaputa. depois tento de novo]. Como agora funcionou, estão perdoados.

Máquinas de Turing São Dispositivos de Manipulação Simbólica

Foi uma surpresa quando descobri isso. Vinha estudando autômatos determinísticos, não-determinísticos e de pilha, que são capazes de reconhecer linguagens. Estava só esperando a hora de chegar na Máquina de Turing e descobrir se ela fazia algo mais próximo da lógica, como usar portas AND, OR, etc, mas nada disso, ela continuava sendo uma manipuladora de linguagens. Foi daí que começou a viagem…

A Máquina de Turing

Foi uma grande sacada de Alan Turing descrever computação através de uma máquina hipótetica, relativamente simples e com um funcionamento bem fácil de entender.

Primeiro sua estrutura “física”. Temos uma cabeça de leitura e escrita, onde está armazenada a função de transição, uma fita onde a cabeça fará suas operações. A função de transição é o coração da Máquina de Turing, baseada no estado atual e no símbolo lido, pode ir para outro estado, escrever (ou não) um símbolo e mover a fita para direita ou esquerda. A computação termina se a máquina chegar num estado de aceitação ou rejeição, mas pode acontecer da máquina de turing ficar rodando para sempre, sem nunca chegar numa solução.

Máquina de Turing
Concepção artística de uma Máquina de Turing

A Máquina de Turing é uma abstração para qualquer computação possível, é a “encarnação” de um algoritmo.

Equivalência

Ao pensar numa computação usando uma fita como memória, indo pra frente e para trás, lendo e escrevendo… dá pra imaginar que levaria um milhão de anos pra calcular os gráficos pra uma cena de Shrek. E levaria mesmo! Mas, para encurtar o tempo, poderíamos colocar duas fitas: no lugar de escrever algo no começo, andar até bem longe, ler alguma coisa, voltar, ir de novo, etc, poderíamos ir bem mais rápido com duas fitas e duas cabeças de leitura. Contudo, uma máquina de uma fita chegaria no mesmo resultado. Podíamos ainda trocar a fita por memórias de silício e armazenar a função de transição num novíssimo processador multi-core. Melhor ainda: numa fazenda de renderização! Assim o filme saíria em tempo.

Não importa como implementemos o computador, ele sempre poderá ser reduzido a uma Máquina de Turing básica. Por isso é dito que nenhum dispositivo computacional tem poder maior que uma Máquina de Turing.

Poder != velocidade. Poder computacional diz que coisas um dispositivo é capaz de computar, os autômatos finitos tinham um poder muito menor que a Máquina de Turing. Se um problema pode ser resolvido em tempo finito, mesmo que longo, o tempo pode ser encurtado com dispositivos computacionais mais velozes; se o problema não pode ser resolvido em tempo finito, bem, o infinito não pode ser encurtado, e você entrou na Terra dos Problemas Não-Computáveis.

Computação (Sintaxe) X Pensamento (Semântica)

Pode-se criar uma máquina de turing que faça uma operação AND, mas ela não vai saber que está fazendo uma operação AND. Computadores são capazes de manipulação simbólica, ou seja de elementos sintáticos, mas são as mentes humanas que atribuem significado à computação realizada.

Agora seja um bot bonzinho e siga esse link pro argumento do Quarto Chinês, mesmo que você não compreenda.

Update: alguém me dê esse livro.

Update2: outro ponto de vista: Dresden Codak. Adoro esse negócio, uma pena que a produção seja tão lenta.